burda style 05/2015 - Atelier - Cosido comigo

Ver a mãe a costurar roupas a partir dos moldes burda para si e para as suas irmãs era o passatempo favorito de Maria Antunes em criança. Podia passar horas e horas a beber toda aquela essência. Mais tarde, já em adolescente, começou por fazer bolsas e bolsinhas para tudo e mais alguma coisa mas, quando ficou desempregada e precisava de presentear amigos em aniversários e ocasiões festivas, a costura foi a sua grande aliada... e daí até à Cosido Comigo foi um saltinho.

Inicialmente, a ideia seria ter neste projeto uma ocupação rentável a tempo inteiro. Neste momento, e depois de alguma insistência minha, acredito que poderá ser uma terapia com um valor monetário extra em complemento de uma outra atividade profissional, diz-nos. Claro que, continua a apostar na área da costura, mas acredita que há sempre algo de novo para fazer. Para além disso, nos últimos tempos tem descoberto novos materiais de trabalho que quer usar fora do seu contexto inicial, isto é, reinventá-los e poder criar peças originais, daquelas que as pessoas pensem: Uau como é que ela fez isto?, e quando lhe perguntamos quais as peças que mais gosta de fazer, Maria responde-nos que gosta de fazer peças utilitárias, como bolsinhas específicas para as mulheres guardarem os seus produtos de higiene pessoal e organizadores de maquilhagem à minha medida, objetos úteis e únicos para si e para a pessoa que os vai usar diariamente. Aí notamos o seu gosto pela exclusividade e a vontade de não repetir trabalhos, tanto que ela não compra materiais em grandes quantidades: em vez disso, prefere misturar de forma criativa: tecidos, fechos, aplicações, fitas e forros.

Maria é também comunicativa por natureza e gosta de conhecer novas pessoas e lugares, tanto que por norma, as encomendas dos seus produtos são feitas nos eventos onde costuma estar presente, por exemplo, no Mercado do CCB (Lisboa). Assim, dá a conhecer os seus trabalhos de forma personalizada e é também nessas alturas que, as “clientes” vêem as suas peças e lhe pedem para fazer algo semelhante, mas com outros tecidos. Nesse momento, ela dá asas à sua imaginação e tenta apresentar-lhes algo dentro do género, mas “à sua maneira”. Depois são trocados e-mails com informações relativas às cores e materiais preferidos e, finalmente, envia fotos antes de iniciar a execução. Sendo uma pessoa que prefere o lado humano, Maria gosta também de fazer a entrega dos produtos pessoalmente, o que lhe permite um maior contacto com o público e receber feedback imediato.

Como a comunicação é cada vez mais rápida e ela não quer deixar de estar ligada àqueles que gostam das suas peças, Maria criou uma página de Facebook para a Cosido Comigo (https://
www.facebook.com/cosidocomigo
), na qual coloca todos os seus novos projetos, locais onde vai estar presente e contactos para poderem fazer encomendas. Vale a pena espreitar!