burda tricot Outono/Inverno 2014 - Atelier - Malhas que inspiram sorrisos

Luísa Ló é portuguesa, cresceu em Londres, regressou a Portugal, emigrou para o Brasil… e voltou ao seu berço. Visita frequentemente lojas em Nova Iorque onde a sua paixão é protagonista: a dupla Tricot|Crochet (TC). Foi precisamente em Londres que aprendeu os primeiros pontos com a sua avó e onde começou a tricotar peças segundo as instruções de revistas da especialidade. Vestia e exibia orgulhosamente as suas camisolas, casacos, cachecóis… com uma legenda muito expressiva num sorriso que comunicava “Fui eu que fiz!”.
O destino deu voltas e reviravoltas e foi no Brasil que se reencontrou com o seu hobby, que começou a fazer experiências, a trabalhar a criatividade com as referências e inspirações que recolheu na sua vida itinerante. A consciência de que um hobby se viria a tornar uma ocupação a tempo inteiro resultou em boa parte do feedback que recebia das peças tricotadas. Eram diferentes, alegres, fora do comum e iam completamente de encontro a um cenário que viu e apreciou um pouco por todo o mundo: TC é trendy.
E assim nasceu a Malhas & Cia. há quatro anos, uma loja/atelier onde a imagem de marca é sempre uma montra verdadeiramente criativa: uma tesoura gigante, uma senhora sentada a tricotar, bonecos inesperados, tudo tricotado (claro!) em formato XL com umas agulhas inacreditavelmente gigantes. Para Luísa Ló esta é uma forma de mostrar que o Tricot|Crochet, mais do que funcional, criativo ou ocupacional é uma verdadeira arte e um convite à partilha. As ideias são trocadas em ambientes de workshops, os trabalhos são iniciados aí e concluídos em casa… e depois frequentemente exibidos na página de Facebook da Malhas&Cia. num verdadeiro espírito de comunidade de fãs das duas técnicas. E Luísa Ló não pára de pesquisar, de buscar referências em todas as partes do mundo para se inspirar e inspirar sorrisos… porque na curta vida do seu atelier assegura que o mais importante é que a dupla TC faz as pessoas felizes. É este o motor de um atelier criativo que quer rejuvenescer um legado de técnicas tradicionais com possibilidades imensas.
Na “Retrosaria”, há já vários anos que o projeto de fundo é a marca Bucos, que resulta da produção de fios a partir de lã de raças autóctones.
Neste projeto 100% português, a Retrosaria” colabora com várias fábricas nacionais de lanifícios e a estabelece parcerias com associações de criadores e também com artesãos. Desta forma consegue ter um portfólio de fios de produção industrial e outros fios integralmente produzidos à mão por processos ancestrais, que se encontram disponíveis online em Malhas & CIA.
Além da Bucos, fique atenta às marcas Beiroa, aquela que dispõe de uma paleta mais variada de cores, Mirandesa (integralmente processada à mão no planalto Mirandês), lã de Merino Zagal. Destaque para a novidade Outono-Inverno 2014, a marca Cobertor, fios produzidos a partir de lãs churras, o fio que é tradicionalmente usado na produção dos cobertores de papa. Depois de ser tricotado deve ser escovado ou cardado, de maneira a levantar uma suave camada de pêlo… uma delícia para os dias mais frios!
Mirandesa