burda style 08/2010 - Costura criativa - Rosarinho Rodrigues

Rosarinho Rodrigues com Pimenta Doce
Há cerca de quatro anos, Rosarinho Rodrigues começou a fazer poufs por brincadeira, para uma casa de fim-de-semana no Alentejo. Quando se colocou a necessidade de sofás onde o espaço era apertado, lembrou-se de "reabilitar" os poufs para suprir as necessidades funcionais e de conforto. Concretizou a ideia com restos de tecidos, e costurou poufs leves, portáteis e muito confortáveis.
A marca Pimenta Doce, nasceu daquela "brincadeira", quando Rosarinho Rodrigues decidiu mudar de Lisboa para a casa de família, em Proença-a-Nova. Ao fim de 18 anos a trabalhar na área do cinema, a procura de maior qualidade de vida implicou também trabalhar por conta própria. O nome Pimenta Doce "vem da Natureza, mas também de uma personalidade um tanto ou quanto rebelde, que se tornou mais tolerante e DOCE", conta Rosarinho Rodrigues. Já as cores, o verde e o vermelho, "vêm da bandeira portuguesa, porque o maior objectivo é que seja identificada como um produto nacional e que não é necessário estar no litoral e numa grande cidade para ter sucesso empresarial!".
Assim, dentro deste conceito, está a trabalhar várias gamas de poufs: juvenis, em tecido de algodão divertidos; tribal - "ando à procura de tecidos no comércio justo, ainda não encontrei o que queria mas está perto!"; excelence, linha em tecidos clássicos e resistentes (tipo sofá); peles sintéticas (raposa, lobo, coelho, com cores); e a linha outdoor, em tecidos impermeáveis. "E todos os restos de tecidos são aproveitados para fazer mochilas pequenas, estojos para lápis, bolsas, etc., nada se perde!"
Em todas as linhas, Rosarinho Rodrigues preocupa-se em criar poufs práticos, fáceis, bonitos - todos têm um outro pouf interior em tecido de pano cru que envolvem as bolinhas de esferovite, todas as capas se podem tirar e lavar, para além de que se podem adquirir só as capas. Admite que para prevenir dissabores, é uma perfeccionista convicta na costura de cada pouf: "à 100ª vez que alguém se sentar, tem que estar tudo perfeito!". Esteticamente, coloca tudo de si: "a alegria, o toque, o encher o olho, o arriscar uma conjugação inesperada, o desafio é assim! O que me inspira é o meu passado, o meu presente e querer ser feliz no futuro. Faço cada pouf como se fosse para mim e isso sente-se, acho eu"